Archive for the Tropicália Category

Jupiter Maçã e os Pereiras Azuis – Demos & Alternative Takes (1995)

Posted in Bossa Nova, Garage, Rock Gaucho, Tropicália with tags , , , , , , , , on 04/04/2012 by andremod

Flávio Basso sempre teve como prioridade uma criatividade diferenciada dos outros artistas gauchos, depois de ter uma breve passagem pelo grupo TNT no inicio dos anos 80 e de fazer parte dos Cascavelletes, onde gravou dois discos e ficou até meados de 1992, ele retornaria em 1995, renovado e influenciado pela musica dos anos 60s. Juntamente com a banda os Pereiras Azuis da cidade de Passo Fundo (RS), ele grava um novo material, e muda seu nome para Jupiter Maçã, em homenagem a gravadora dos 4 garotos de Liverpool, um pouco antes disto ele usava o pseudonimo “Woody Apple” em homenagem a uma de suas influencias, Bob Dylan. Misturando Psicodelia 60s e musica brasileira como Tropicalia & Bossa Nova, ele começou a compor e montar um material que parte seria integrada ao seu primeiro trabalho oficial de 1996, o cultuado “A Sétima Efervescência“, aqui algumas musicas classicas como “Um lugar do caralho”, “Essencia Interior”, “Pictures And Paintings”, “O novo namorado”, “Miss Lexotan 6mg Garota“…assim como outras musicas que nunca foram gravadas oficialmente como “Orgamos Legal” & “Ela sabe o que faz”, pura raridade para os fãs, vale conferir:

Musicas:
01. Orgamos legal
02. Ela sabe o que faz
03. As outras que me querem
04. Um lugar do caralho
05. Pictures and Paintings
06. Essência interior
07. Hey girl, what you´re gonna do
08. Tesuda
09. Conga
10. Darling (musica incompleta)
11. O novo namorado
12. Desgaste emocional
13. Ela sabe o que faz (altenative take)
14. Orgasmo legal (alternative take)
15. Não há amor na sua alma
16. Miss lexotan 6mg garota

Download

Obscuridades – A Banda Tropicálista Do Duprat (1968)

Posted in Brazilian Nuggets, Obscuridades, Psicodelia, Tropicália with tags , , , , , , , on 13/03/2012 by andremod

Rogério Duprat já era o papa da Tropicália em 1968, depois de participar de quase tudo que tinha sido feito até então entre os discos e grupos da época, o mesmo decidiu lançar o próprio álbum. Pra isso ele convocou os mais brilhantes e geniais entre os seus, os Mutantes, que atuaram em algumas faixas do disco, compostas pelos não menos geniais Caetano Veloso, Gilberto Gil, Tom Jobim & os Beatles (isso mesmo!). Anos depois de seu lançamento o maestro Duprat contou que não gostava tanto do álbum, por ter realizado sobre  condições de pressão, e assim ter saído da maneira que o imaginou. Porém este disco é disputado a tapas por colecionadores e bastante elogiado no meio cult, outra curiosidade é a arte da capa que traduz bem o que seria a Tropicália, com colagens de figuras mistudas com uma india em destaque mostrando toda a brasilidade do disco:

Musicas:
01. Judy in disquise
02. Honey – Summer rain
03. Canção para inglês ver – Chiquita Bacana (Mutantes)
04. Flying (Beatles – Instrumental)
05. The rain, the park and other things (Mutantes)
06. Canto chorado – Bom tempo – Lapinha
07. Chega de saudade
08. Baby
09. Cinderella rockefella (Mutantes)
10. Ele falava nisso todo dia – Bat macumba
11. Lady Madonna (Beatles/Mutantes)
12. Quem será?

Download

V.A. – Tropicália Ou Panis Et Circencis (1968)

Posted in Brazilian Nuggets, Coletâneas, Psicodelia, Tropicália with tags , , , , , , , , , , on 13/03/2012 by andremod

Se na história da Mpb houve um grande álbum que rasgasse elogios e influencia-se artistas como Beck & Kurt Cobain… esse foi o disco Tropicália Ou Panis Et Circencis, àlbum gravado nos estúdios da RGE em maio de 1968 sob a batuta do mestre Rogério Duprat, e se pudessemos comparar, poderimos chegar a seguinte conclusão, se o disco “Chega de saudade” foi o boom da bossa-nova, esse “Tropicália” sem duvida é o disco viseral do movimento que ficou conhecido como Tropicalismo, que misturou influências de guitarras estridentes de Jimi Hendrix com elementos da cultura regional de varios lugares do Brasil. Em maio de 1968, começaram as gravações do álbum que seria o manifesto musical do movimento, do qual participaram artistas como Gal Costa, Nara Leão, Os Mutantes, Tom Zé – além dos poetas Capinan e Torquato Neto e do maestro Rogério Duprat (reponsável pelos arranjos do LP). O disco foi eleito em uma lista da versão brasileira da revista Rolling Stone como o segundo melhor disco brasileiro de todos os tempos

Musicas:
01. Miserere Nobis – Gilberto Gil e Mutantes
02. Coração Materno – Caetano Veloso
03. Panis et Circensis  – Mutantes
04. Lindonéia – Nara Leão
05. Parque Industrial  – Caetano Veloso, Gilberto Gil, Gal Costa e Mutantes
06. Geléia Geral – Gilberto Gil
07. Baby – Gal Costa e Caetano Veloso
08. Três Caravelas – Caetano Veloso e Gilberto Gil
09. Enquanto Seu Lobo Nao Vem – Caetano Veloso, Rita Lee e Gal Costa
10. Mamãe Coragem – Gal Costa
11. Bat Macumba – Gal Costa, Mutantes, Caetano Veloso e Gal Costa
12. Hino Do Senhor do Bonfim da Bahia – Gal Costa, Mutantes, Caetano Veloso e Gal Costa

Download

Lançamento – Documentario sobre o movimento Tropicálista estreia em festival (2012)

Posted in Brazilian Nuggets, Documentário, Evento, Filmes, Lançamentos, Notícias, Psicodelia, Tropicália with tags , , , , , , , , , , on 13/03/2012 by andremod

Tropicália: documentário dirigido por Marcelo Machado, focando os anos de ouro da Tropicalia, abre no proximo dia 22/03 o festival  “É Tudo Verdade – Festival Internacional de Documentários“em São Paulo (com edição também no Rio de Janeiro), o Doc fala sobre o movimento encabeçado por artistas como Caetano Veloso, Gilberto Gil, Mutantes & Tom Zé.  Mas o que é Tropicalismo, afinal? É esta simples e complexa questão que o apresentador português faz a um exilado e melancólico Caetano Veloso logo no início do filme de Marcelo Machado. O diretor, que cresceu ouvindo as ousadias sonoras de Caetano Veloso, Gilberto Gil, Mutantes e Tom Zé, que não entendia as letras em inglês mas adorava os arranjos de um tal de rock n roll, conduz o espectador por uma viagem de sons e imagens através da história de um dos mais emblemáticos movimentos culturais brasileiros. Em um panorama afetivo construído com uma miscelânea de referências, entrevistas, pesquisas, imagens e, claro, canções, o espectador passeia pelos férteis, polêmicos e violentos anos de 1967, 1968, 1969. Com raríssima imagens, algumas feitas em 4 de agosto de 1969, na cidade de Lisboa, onde os baianos viviam então exílio europeu (se radicariam em Londres a seguir, até a volta ao Brasil, em 1972) e faziam passeios pela Europa para mostrar sua música. Quem quiser conferir tudo isso e estiver entre as cidades de São Paulo & Rio de Janeiro, só seguir as informações no fim do post:

Ficha Técnica:
Diretor: Marcelo Machado
Produção: Denise Gomes, Paula Cosenza
Roteiro: Di Moretti, Marcelo Machado
Trilha Sonora: Kassin
Duração: 72 min.
Ano: 2011
Gênero: Documentário
Distribuidora: Imagem Filmes
Estúdio: BossaNovaFilms / Record Entretenimento

Informações/Evento:
É Tudo Verdade – Festival Internacional de Documentários
Quando: de 22 de março a 1º de abril
Onde: São Paulo e Rio de Janeiro
Programação: Site Oficial
Entrada: Franca