Arquivo para Curiosidades

Curiosidades – Coffee Bar Culture

Posted in Curiosidades, Mod, Rocker with tags , , , on 15/07/2015 by andremod

149068_108974665967587_522553386_nCoffee Bar: criados nas decadas de 50 e 60, tiveram vital importancia para a cena jovem britanica, e deu origem a um fenomeno posterior: o “Coffee Bar Culture“. Essa “febre” teve inicio nos anos 50, onde esses locais se tornariam os principais pontos de encontro desses jovens, vide sua menor idade, os mesmo não podiam frequentar os Pubs e Clubes da época, e nestes Cafés além de não ter essa restrição, eles tambem tinham sempre uma Juke Box e o acesso as musicas que pouquissimas radios locais executavam, assim com o passar do tempo esses locais abriram espaços para música ao vivo, sendo os pioneiros a investir no estilo “Skiffle”, que nada mais era que um Jazz/Blues Britanico, de grupos de que tocavam nas esquinas e que agoram tinha um local de mais visibilidade, esse estilo influenciaria o que ficou conhecido depois como “British Rock n´ Roll”. Esses Coffee Bars tiveram origem em Londres e se proliferaram por todo o Reino Unido, com influencia nos “Coffee Houses” dos EUA, que sempre tinham na musica Folk seu cartão de visitas, o que começou com produtos caseiros, com o tempo esses ganharam instalações de máquinas de café espresso italiano, dando uma imagem inovadora aos bares do Pós-Guerra, que naquela época ainda tinha uma parecia frequentemente tediosa e careta. 936168_123155574549496_1924529978_n Os adolescentes britanicos encontraram nestes Cafés locais onde poderiam se exibir atraves da moda que cada dia ditava mais o estilo de vida, ouvir musica e dançar, e a facilidade por ter um serviço barato e sem restrições de idade legal, onde as Escolas e a Igreja não colocavam limites aos frequentadores, pois ambas as instituições controlavam os Clubes e Pubs da época, como braços da lei britanica, tendo sempre “olheiros” por perto. Algo importante a notar foi que com o passar dos anos os Cafés ganharam seu proprio estilo atraves dos nomes, decoração e até a musica que era apresentada, em Liverpool, por exemplo, tinha seu próprio Café Bar que foi associada a si como a cena “avant garde” da musica, por revelar as primeiras bandas importantes do Rock Britanico, como Beatles e Rolling Stones, o Jacaranda Club na Slater Street começou suas atividades como um Café Bar e foi onde os primeiros shows dos Beatles aconteceram, assim como no Zodiac Coffee Bar na Duke Street, onde se apresentava a cantora Cilla Black. Mona Best, mãe de Pete Best, primeiro baterista dos Beatles, se apresentava no Casbah Coffee Bar em 1959, que nada mais era que o antigo sótão da sua casa, lá tambem aconteceu alguns pequenos shows do grupo “Quarrymen”, que tinha na sua formação John Lennon, Paul Mccartney e George Harrison. 11209493_10153440730337920_2372506630288522745_n Nos anos 60 esse cafés se tornariam KG´s de alguns grupos da subcultura britanica, como os Mods, Rockers e posteriormente os Skinheads, como locais de ponto de encontro para antes de alguma festa em clubes ou mesmo na casa de alguem, esses locais ficaram tão marcados que não poderiam ser frequentados pelo grupo rival e isso se seguiu por anos e até mesmo mais de uma decada. Atualmente esses locais tem grande procura e visitação por aqueles mais saudosos dos tempos aureos e mesmo aqueles que buscam estar presentes de alguma forma no passado do qual não tiveram chance de contato!

Curiosidades – Hard Mods

Posted in Curiosidades, Hard Mod, Mod with tags , , on 24/12/2014 by andremod

PA-8634315Eis um assunto que muitos se questionam, realmente existiu os Hard Mods? Realmente aconteceu uma subdivisão ou uma mudança de valores pelos fatores que a propria cena acabou achando apropriado para a ocasião? Muito bem, esse tema sempre me fez pensar e buscar informações por varios meios a fins de tentar descobrir alguma veracidade na existencia da cena Hard Mod, como ponto de transição para o que viria ser posteriormente a cena Skinhead no fim dos anos 60. A poucos dias tive contato com alguns Mods Originais do periodo classico, de 1959 até 1966, e indaguei essa duvida a um deles através de um grupo fechado no facebook, esse questionamento virou um post no proprio grupo que gerou muita polemica, porem vastas respostas explicativas sobre o assunto em questão, aqui vou tentar resumir um pouco desses textos (testemunhos), sem revelar o nome de seus autores, nem o nome do grupo em questão: hardmods “Em torno de 1961/2, aconteceu algumas confusões entre os “South London Mods” e “East London Mods”…eu acabei indo com uma multidão de Mods para testemunhar uma dessas enormes confusões, do lado de fora da estação de metro “Algate East”, foi emocionante, mas não durou muito tempo. Neste momento, embora o Modernismo estava florescendo, crime e luta foram se tornando mais frequentes em pubs e clubes, com em um “pico” em 1963, o “Ballroom Blitz Brigade”. Porem o André questiona a cena para o fato de que todos aqui parecem concordar, a cena Hard Mod é um grupo distinto dentro do cronograma rigoroso deste grupo? A resposta é SIM.”


“Andre Luiz, presumindo que você entende o post: “I question the scene “Hard Mod” really existed?”… em saber se durante a “Original Era of Mod”, o termo conhecido como “Hard Mods” existiu e estava ativo. Bem, depois de um bom debate, a resposta desta testemunha ocular é que ao longo do período de 1959-1966 o termo Hard Mod foi usado, e muitas vezes utilizado e difundido o suficiente para dar-lhe credibilidade. Mas o importante a se notar é que nunca foi aplicado gramaticalmente dentro do nosso idioma, como segunda pessoa. A palavra “Hard” no vernáculo Cockney, é um termo de respeito e honra relutante, algo que você pode se auto aplicar ou a sua “cena”. 10846422_4887324838245_4684702856832201257_n Abaixo temos um texto do autor “John Waters” (Hard Mods by John Waters) retirado do site “Mod Culture“, falando sobre uma subdivisão entre o “Mod Original” e o “Hard Mod”: “…havia dois tipos distintos de Mods dentro da área de Londres. O primeiro foram os “Scooter Boys“, que se tornaram o rostos aceitos pelo “Sixties Modernism”. No entanto, houve um outro tipo de Mod, estes eram membros de muitas “Firmas”, gangues de rua, cada um com sua própria área: The Highbury Mob, The Archway, Somers Town, Elephant and Castle, Mile End…etc. Essas localidades eram rigorosamente patrulhadas e suas fronteiras estabelecidas. Os membros de gangues rivais que se entrassem em tais locais corriam o risco de levar uma surra, se pegos. O visual era o terno mohair, sobretudos gola de veludo e algumas vezes um chapéublue beat”. Cada localidade tinha seus salões de sinuca, e por vezes salões de dança ou clubes. “Eu morava em Upper Holloway, portanto era um membro da Archway. Nós reuniamos em dois ou três cafés e pubs locais e nosso principal inimigo eram os Highbury e os Mars de Finsbury Park)” diz John Waters. Havia muitas vezes violentos conflitos entre as gangues Mods, mas o estranho é que em algumas ocasiões essas gangues, como os Highbury Mob se agrupavam com outras gangues. Lembro-me de um caso que isso aconteceu e foi combinado uma visita” a alguns Rockers no Alexandra Palace.


Nota do autor do blog: Porem a maioria dos Mods da geração clássica (1959 a 1966) repudia veemente a existência dessa violência contida que acabou ficando associada a cultura Mod a partir de 1964, por conta dos conflitos nas regiões costeiras da Inglaterra, nos relatos que pude ter acesso sinto um grande sentimento de raiva e de desassociação desses fatos com a cultura Mod, explicando que eram “garotos inflitados” que acabavam formando pequenas gangues e usando da estetica Mod para desencadear uma violência gratuita contra gangues de outras localidades, neste caso os Rockers, assim como aconteceu posteriormente com os Skinheads em 1969, essas fatores acabaram marginalizando a cena e generalizando uma antipatia com todos os envolvidos e quem estava apenas interessado com o real estilo de vida Mod, isso fez com quem muitos mudassem para outros estilos e até mesmo perdessem o interesse pela cultura Mod.

Curiosidades – Coffee Bar Cats

Posted in Coffee Bar Cats, Curiosidades, Mod with tags , , on 25/05/2014 by andremod

soho2Pouco se sabe sobre a real origem dos Mods, o que se sabe que os mesmos apareceram no fim dos anos 50, e teve seu ápice em 1964, por conta da notoriedade que ganharam com o Swinging London e os famosos conflitos com seus rivais, os Rockers, nas cidades costeiras ao sul da Inglaterra!

A denominação Mods vem de duas vertentes: o grupo de jazz, “Modern Jazz Quartet” e a escola de Arte Moderna (saiba mais num outro artigo do blog: AQUI)

Alguns artigos dizem que os Mods são uma ramificação de uma das primeiras culturas de rua inglesa, os Teddy Boys, uma turma de jovens que curtiam o Rock n´Roll americano, tinham como visual penteados chamados de duck´s arse e roupas inspiradas na Era Eduardiana, com sapatos com sola alta, gravatas finas ou cowboy tie, também foi o primeiro grupo a se tatuarem, ganhando uma fama não muito boa na sociedade da época. A mídia sempre publicava sobre a violência, tumultos e eventuais brigas, tudo isso fez com que a cena perde-se força e cai-se em decadência, com isso os Teds remanescentes se dividiram em dois grupos: os Ton Up Boys e os Coffee Bar Cats.

1

Os Ton Up Boys, eram tradicionalistas da cena e carregavam muitas características dos Teddy Boys.
Porém os Coffee Bar Cats estavam mais ligados ao rock n’roll britânico e ao modern jazz, o visual sofria grande influência da Itália: paletós justos, parkas e scooters, as garotas cortavam os cabelos bem curtos ou longos com franja, botas cano alto, mini saia e shift dress (vestido tubo sem manga). Podemos entender que essa foi a primeira Crew de Mods, eles também tinham a mente mais liberal e acreditavam que homens e mulheres podiam viver o mesmo estilo de vida. No inicio dos anos 60 esses dois grupos já estavam claramente separados e distanciados, e com certeza foi a primeira linhagem de Mods e Rockers, o que deu origem aos famosos posteriores conflitos que já conhecemos!

Curiosidades – Aggro

Posted in Casual, Curiosidades, Hooligan, Skinhead with tags , , , , , , on 12/02/2014 by andremod

946674_123493551182365_619488018_nAGGRO: vem do termo inglês “agravamento” (irritação) ou “agressão” (referindo-se à violência), foi popularizado e errol-english-sha-la-la-la-lee-1970-2disseminado no início dos anos 70 pelos Skinheads que frequentavam as arquibancadas do estádio, onde os jovens amantes de reggae, cerveja e futebol viajavam seguindo os principais times ingleses da época como West Ham United, Arsenal e Chelsea. Muito antes dos temidos Casuais, esses podem ser considerados a primeira geração de Hoolligans, que começaram a aparecer logo após a Inglaterra se sagrar campeão do Mundo em 1966, tendo como seu herói, Bobby Moore. Identificar um “Aggro” era fácil, o cartão de visitas era o cachecol com as cores do seu clube, o vestuário basicamente era calça jeans (Levis), camisa (Brutus / Ben Sherman), Sapato Monkey ou Doc Martens e suspensório, eventualmente chapéu Blue Beat ou Pork Pie, essa cena foi eternizada com a musica que da nome a cultura Aggro, e de autoria do grupo The Bovver Boys e gravado em 1970 (destaque na foto) – Escute AQUI

Literatura Básica:
# Want Some Aggro? (Micky Smith / Cass Pennant)
# Aggro. Skins + Reggae = TNT (sem autor)51k43YU3SuL__BO2,204,203,200_PIsitb-sticker-arrow-click,TopRight,35,-76_SX385_SY500_CR,0,0,385,500_SH20_OU02_

1250480928665_f

Curiosidades – Os Piratas Edelweiss

Posted in Curiosidades with tags , , on 06/01/2014 by andremod

edelweiss-piratenA origem do nome não é certa, o que se sabe é que o movimento juvenil conhecido como Os Piratas Edelweiss (Edelweiss Piraten) não teve final feliz… em novembro de 1944, a Gestapo enforcou 13 adolescentes nas dependências de uma residência em Colônia. Os adeptos daquilo que simbolizava uma alternativa à Juventude Hitlerista (Hitler Jugend), sabotadores do regime nazista, arriscaram não apenas serem detidos e torturados, mas suas próprias vidas. Nicola Wenge, historiadora do Centro de Documentação sobre o Nazismo em Colônia (cuja sede fica em um dos antigos quartéis da Gestapo), diz que “os Piratas Edelweiss criaram sua própria subcultura nas regiões do Reno e do Ruhr, ao usar determinado estilo de roupas, cantar suas baladas românticas e, mais tarde, canções antinazistas“. Ao contrário do que determinavam as normas do regime, o movimento permitia a interação entre garotos e garotas, que viajavam juntos pela região, levando com freqüência um violão e uma gaita. “Por esta razão, eram perseguidos pela Juventude de Hitler, pela polícia e pela Gestapo. E até mesmo pela Justiça, que os tratava como criminosos e delinqüentes sexuais“, conta Wenge.

Edelweiss-Pirates

Sabotagem e Riscos
Quando os aliados bombardearam Colônia e a ordem pública foi se desestabilizando aos poucos, os Piratas Edelweiss começaram a sabotar fábricas de munição e a colocar, por exemplo, água com açúcar nos tanques de gasolina de carros pertencentes aos nazistas. Além disso, distribuíam folhetos de propaganda contra o regime. Em 1944, porém, vários adeptos do movimento foram presos. Jülich, que na época tinha apenas 15 anos, passou quatro meses preso em uma cela em Colônia, tendo sido interrogado e torturado pela Gestapo. Outros 13 companheiros dele foram enforcados, o mais jovem deles tinha apenas 16 anos.

Rumo ao “Rio de Schaniro”
O desejo de abandonar a Alemanha nazista foi certamente um dos elementos que acompanharam estes adolescentes durante o período. No porão da casa onde estiveram presos, pode-se ler a inscrição “Rio de Schaniro” na parede. “Supõe-se que se trata de uma referência a musica “Quando as Sirenes Ressoam“, uma das várias canções que falam de lugares longínquos, cantada pelos Piratas.  “Esta postura não é atípica na história da cultura alemã e durante a repressão, através da ditadura nazista, foi ainda mais alimentada. Sabemos de várias vítimas do nazismo, que durante ou depois da guerra procuraram outros lugares para viver. Mas se, concretamente neste caso, há ex-Piratas Edelweiss que chegaram a ir para o Rio de Janeiro ou para outros lugares do Brasil. Para nós, seria muito interessante entrar em contato com possíveis Piratas Edelweiss “brasileiros”, se é que eles existem. Estima-se que havia nos anos que antecederam o fim da Segunda Guerra Mundial, cerca de três mil Piratas Edelweiss vivendo em Colônia e mais centenas de outros nas cidades vizinhas. Estes jovens não estavam aliados a nenhuma facção política ou organização religiosa, nem tampouco a algum movimento, porém possuía uma estrutura organizada.

Edelweiss-piraten (1)

Hoje, 60 anos depois, a história oficial ainda registra os jovens Piratas Edelweiss como meros ladrões e criminosos. Seus atos de resistência, embora ignorados pelas autoridades na Alemanha, já obtiveram o reconhecimento até mesmo do Estado de Israel. Em 1984, o Memorial Yad Vashem prestou uma homenagem a Jean Jülich, um dos sobreviventes do grupo.

Uma boa fonte de informação é o filme que leva o nome dos “Edelweiss Piraten”, produzido em 2004. Aqui o link com o filme na integra, mas infelizmente sem legenda em portugues!

Curiosidades – Black Power

Posted in Black Power, Curiosidades, Filmes with tags , , , on 25/11/2013 by andremod

Black-Power-Mixtape-4Black Power (Poder Negro) nome dado ao movimento negro que aconteceu nos EUA e posteriormente em todo o mundo, ganhando força no fim dos anos 60 e inicio dos 70. O movimento enfatizou o orgulho racial e da imagecriação de instituições culturais e politicamente negras (como os Panteras Negras), para cultivar e promover interesses coletivos, valores, segura & autonomia para os negros. O registro mais antigo conhecimento da expressão “Black Power” veio de um livro de Richard Wright de 1954, que também leva o titulo de “Black Power“. O primeiro uso da expressão em um sentido político vem de Robert F. Williams, presidente da NAACP, escritor e editor nas décadas de 60/70. A expressão “Black Power” foi criada por Stokely Carmichael (destaque na foto), militante radical do movimento negro nos Estados Unidos, após sua vigésima sétima detenção em 1966, ele disse: “Estamos gritando liberdade há seis anos. O que vamos começar a dizer agora é Poder Negro“. Stokelyblack-power1-punho-fechado1 Carmichael viu o conceito de “Black Power“, como forma de substituição do “Freedom Now!”,  slogan do líder da não-violência, Martin Luther King.  Com sua concepção e articulação da palavra, ele sentiu esse movimento não foi apenas um movimento para desagregação racial, mas sim um movimento para ajudar a combater a incapacitante da América Racista. Ele disse: “Pela última vez, ‘Black Power’ significa a união das pessoas negras para formar uma força política, que quer eleger representantes para falar das suas necessidades!”

014-560x805

Jogos Olímpicos de 1968: o medalhista de ouro “Tommie Smith” & “John Carlos” (medalhista de bronze), ergueram o punho fechados e serrados ophr(destaque na foto acima) no pódio após vencerem os 200 metros na Cidade do México. Na foto, o terceiro atleta é o medalhista de prata “Peter Norman” da Austrália, usa um bottom da OPHR (Olympic Project for Human Rights – destaque). para mostrar seu apoio aos dois americanos. Entretanto, este gesto foi uma condenação para o resto de suas vidas: “Tudo mudou para sempre. Recebemos ameaças de morte, cartas, telefonemas… Depois dos Jogos Olímpicos, todos os meus amigos desapareceram. Tinham medo de perder suas amizades brancas e seus empregos. Eu tinha 11 recordes mundiais, mais do que qualquer pessoa no mundo, e o único trabalho que encontrei foi lavando carros num estacionamento. E me TommieSmith741_RGmandaram embora porque meu chefe disse que não queria que ninguém trabalhasse comigo. Não queria que alguém que defendesse a igualdade de direitos estivesse em sua equipe. Todo mundo tinha muito medo. Meus irmãos foram expulsos do colégio.” Ao chegarem em casa, suas medalhas foram retiradas pelo governo. O Comitê Olímpico Internacional nunca pediu desculpas pelo que o atleta sofreu: “Destruíram minha vida, a de John, a de Norman… A esposa de John se suicidou, eu me divorciei… Tudo por pedir que as pessoas sejam iguais. O COI permitiu tudo isso e o comitê norte-americano não fez nada para impedi-lo.”, disse Tommie Smith.

BlackPantherPartyComrades1968016Panteras Negras (Black Panther)
Partido negro revolucionário estadunidense, fundado em 1966 em Oakland (Califórnia), por Huey Newton e Bobby Seale (destaque na foto), bobby-and-hueyoriginalmente chamado “”Black Panther Party for Self-Defense” (Partido Pantera Negra para Auto-defesa) & posteriormente apenas como “Black Panther Party”. A finalidade original do partido era patrulhar guetos negros para proteger os residentes dos atos de brutalidade da polícia. Posteriormente, os Panteras Negras tornaram-se um grupo revolucionário marxista que defendia o armamento de todos os negros, a isenção dos negros de pagamento de impostos e de todas as sanções da chamada “América Branca“, a libertação de todos os negros da cadeia e o pagamento de indenizações aos negros por séculos de exploração branca. A ala mais radical do movimento defendia a luta armada. Em seu pico, nos anos 60, o número 41de membros dos Panteras Negras excedeu 2 mil, e a organização coordenou sedes nas principais cidades. Os confrontos entre os Panteras Negras e a polícia, nos anos 60 e 70, resultaram em vários tiroteios na Califórnia, Nova Iorque & Chicago. Um desses confrontos resultou na prisão de Huey Newton pelo assassinato de um policial. Na medida em que alguns membros do partido foram considerados culpados de atos criminosos, o grupo passou a ser alvo de ataques violentos por parte da Black%20Power%202polícia, o que suscitou investigações, no Congresso dos Estados Unidos, sobre a repressão policial contra os Panteras. Em meados dos anos de 1970, a perda de muitos membros e queda da simpatia do público pelos líderes negros, levaram a uma mudança dos métodos do partido, que passou a se dedicar à atividade política convencional e à prestação de serviços sociais às comunidades negras. Em meados dos anos 80, o partido estava efetivamente desfeito. Segundo a ex militante, Ericka Huggins: “O FBI quebrou os Panteras Negras. Acabar conosco se tornou uma questão de honra, e nisso eles foram bastante competentes“. Em um único ano, 28 membros dos Panteras Negras foram assassinados, e vários outros foram presos, afirmou ela. Recentemente Ericka Huggins esteve no Brasil, no mês de setembro em São Paulo, dando uma palestra na PUC a convite do Professor Lúcio Flávio Almeida do Núcleo de Estudos de Ideologias e Lutas Sociais
Aqui um release do evento

leni_sinclair_0001Panteras Brancas (White Panther)
Foi um grupo político, norte-americanos organizado por brancos de extrema esquerda anti-racista, fundado em 1968 na cidade de Ann Arbor Photo of MC 5(Michigan), por Lawrence Plamondon, Leni Sinclair e John Sinclair. Começou como uma resposta a uma entrevista onde Huey P. Newton (co-fundador do Partido dos Panteras Negras) disse: qualquer pessoa branca pode fazer sua parte para ajudar os Panteras Negras. Asssim nasceu o Partido dos Panteras Brancas, nome direcionado a essa “Revolução Cultural”. Sinclair fez todo o esforço possível para garantir que os Panteras Brancas não fossem confundidos com o grupo Supremacia Branca, dizendo que eles eram exatamente o contrário. O partido trabalhava pelos direitos das várias minorias étnicas que faziam parte da Coalizão “Rainbow Coalition”. Na época Sinclair estava administrando o grupo de “Proto Punk”, MC5 (foto no destaque),  que também abraçou seus ideais. O MC5 foi muito popular em Detroit por conta de seus letras e shows ácidos, e  ficaram mais quando abraçaram as causas do direitos civis negros, levando isso para cima do palco. Porem depois de vários problemas, acabaram se desvinculando em 1969. O emblema do partido era uma pantera branca, por vezes utilizado em conjunto com o MC5 em um fundo roxo com a frase “A música é revolução“, e seus ideais seguido efetivamente as idéias estabelecidas porgg muitos grupos radicais da época. Em 1968, John Sinclair e Plamondon foram indiciados pela acusação a uma explosão de um escritório da CIA em Ann Arbor, Plamundon fugiu do País para a Argélia, onde permaneceu exilado, e tornou-se o primeiro hippie a fazer parte da lista dos mais procurados do FBI, em 1970 ele aos EUA, e foi preso em uma parada de rotina que o levou à prisão federal. John Sinclair foi condenado a 10 anos de prisão em 1969, depois de ter dado dois cigarros de maconha a um policial da narcóticos infiltrado. Em protesto, foi organizado o “The John Sinclair Freedom Rally”, em 10 de dezembro de 1971, no Crisler Arena (Michigan), o evento contou com uma performance de John Lennon, entre outros, e foi também o lançado do filme Ten For Two.
Aqui alguns vídeos da época!
Durante o tempo de prisão, Plumondon e Sinclair rebatizaram o Partido dos Panteras Branco como Rainbow People’s Party, antes de se separar em 1973.

malcolm6n-1-webMalcolm X
ou Al Hajj Malik Al-Shabazz, nasceu Malcolm Little em Omaha (Nebraska) em 19 de maio de 1925, foi um dos maiores defensores dos direitos dos negros nos Estados Unidos. Fundou a Organização para a Unidade Afro-1174660_581030838601989_2105643556_nAmericana, de inspiração socialista. Ele era um defensor dos direitos dos afro-americanos, um homem que conseguiu mobilizar os brancos americanos sobre seus crimes cometidos contra os negros. Sua vida desde cedo teve de mãos dadas com a tragédia e a dor, quando tinha apenas seis anos e brincava pelas ruas de Omaha, o seu pai, Earl Little, foi assassinado. Após sofrer um brutal espancamento, Earl Little teve o seu corpo atirado em uma linha de trem. Órfão (na época sua mãe fazia tratamento em um hospital psiquiátrico), Malcolm e seus sete irmãos foram morar em orfanatos. Pouco tempo depois, com uma irmã mais velha, foi morar em Boston. Depois, transferiu-se para o Harlem, bairro de maioria negra em Nova Iorque. Na adolescência, trabalhou como engraxate e começou a beber, a fumar e a comercializar drogas, principalmente maconha, além de frequentar casas de prostituição. Escapou do serviço militar fingindo-se de “louco”. Na mesma época, começou a praticar pequenos assaltos no Harlem. Com mais três amigos, todos muito pobres, passou a assaltar residências, até que acabou sendo preso, em 1946. Foi justamente na prisão que ocorreu uma grande transformação na vida de Malcolm X. De assaltante e vendedor de drogas, passou a estudar o islamismo, seguindo os ensinamentos de Elijah Muhammed, líder da “Nação do Islã”. Ao sair da cadeia, em 1952, Malcolm X transformou-se em um dos mais carismáticos líderes negros dos Estados Unidos. Enquanto Martin Luther King apostava em uma resistência pacífica como arma para enfrentar o racismo, Malcolm X defendia a separação das raças, a independência econômica e a criação de um Estado autônomo para os negros. Ao lado de Elijah Muhammed, viaja pelos principais estados norte-americanos para pregar as suas idéias e defender a libertação dos negros. O projeto não foi à frente, mas deu ainda mais fama ao ativista. Em 1964, já casado fundou a untitledorganização “Muslim Mosque Inc” e, mais tarde, a “Afro-American Unity”. Um ano antes, após uma viagem para Meca, cidade sagrada dos muçulmanos, mudou o seu nome para Al Hajj Malik Al-Habazz. A partir daí, passou a defender uma posição conciliatória em relação aos brancos, fato que o deixou isolado, sobretudo em relação ao islamismo. No dia 21 de fevereiro de 1965, quando discursava no Harlem, Malcolm X foi assassinado com 13 tiros, ao lado de sua mulher Betty, que estava grávida, e de suas quatro filhas. A Polícia dos Estados Unidos não encontrou provas, mas sempre suspeitou da participação da “Nação Islã” no crime. As idéias de Malcolm X foram muito divulgadas principalmente nos anos 70, por movimentos como “Black Power” e “Panteras Negras”. A vida do ativista norte-americano também ganhou documentários e filmes, sendo “Malcolm X”, dirigido por Spike Lee, em 1992, o mais famoso. Em 1998, a influente revista Time nomeou a Autobiografia de Malcolm X um dos 10 livros não fictícios mais importantes do século XX.

Filmes sobre o movimento Black Power e ligados:
01. O sol é para todos (1962)
02. No Calor da Noite (1967)
03. The Autobiography of Miss Jane Pittman (1974)
04. Mississipi em Chamas (1988)
05. Malcolm X (1992)
06. As barreiras do amor (1992)
07. Panther (1995)
08. Tempo de Matar (1996)
09. The Rosa Parks Story (2002)
10. Night Catches Us (2010)
11. Black Power Mixtape (2011)
12. Historias Cruzadas (2011)

Curiosidades – Modernismo e a 7ª Arte

Posted in Cinema, Curiosidades, Filmes, Mod, Mod Revival with tags , , , , , on 25/09/2013 by andremod

Quad_Chef_CurrentA cena Mod (Modernist) ganhou espaço na mídia nos anos 60, tomando de assalto os meios culturais da época, como a literatura, design, teatro, artes plásticas & moda, dando inicio ao movimento “Swinging London“, chegando na América do Norte, e tornando-se uma febre entre os jovens. O cinema não ficou de fora, os filmes da época abordavam de forma subliminar essa temática, são poucos os filmes que falam explicitamente sobre o Modernismo, que apenas na década seguinte viria a tona e se tornaria um “filão”. Nos anos 60 podemos citar uma lista de bons filmes que indiretamente apresentam essa temática:

01. Some People (1962)
02. Dateline Diamonds (1966)
03. Disk-O-Tek Holiday (1966)
04. Depois daquele beijo (Blow-Up – 1966)
05. Ao Mestre com carinho (To Sir, with Love – 1967)
06. The Trip (1967)
07. Up the junction (1967)
08. Smashing Time (1967)
09. The Cool Ones (1967)
10. Tonite Let’s All Make Love in London (1967)
11. A primeira noite de um homem (The Graduate – 1967)
12. Privilege (1967)
13. Angel Baby (1968)
14. Here We Go Round The Mulberry Bush (1968)
15. Um golpe a italiana (The Italian Job – 1969)

Porém nos anos 60 devemos destacar alguns filmes que por sua vez tentaram abranger a cultura Mod, mesmo que de maneiro documental ou comercial:

battle0f3

The Battle of the Mods (La Battaglia dei Mods – 1966) – filme com cantor Ricky Shayne, onde se consolidou a musica “Uno dei Mods” (Youtube), que exalta os conflitos entre os Mods e Rockers britânicos. Filme italiano dirigido por Franco Montemurro, baseado nas aventuras do jovem Ricky, um musico que entra em conflito com uma gangue local, o personagem em si tem um visual meio perdido para a real cena Mod tradicional da época. (Youtube)

Dom_kallar_oss_modsDom Kallar Oss Mods (1968) – filme dirigido por Stefan Jarl & Jan Lindqvist, é uma trilogia da mesma série que mostra a mudança do Mod para a cena Hippie atraves de dois jovens, Kenta e Stoffe, mostra esse Mod saindo da adolecencia e levando suas duvidas junto, a revolta da sociedade para lembra que não existe diferença entre ser jovem e ser adulto, a fronteira entre a infância e a fase madura. Existe uma linha fina neste filme entre documentário e ficção, mostrando crianças que já tenham desistido da vida, crianças que sabem que vão ser alcoólatras e usuários de drogas e mesmo assim não se importam. Este filme foi interrompido por causa de algumas cenas de sexo, mas foi mais tarde liberado sem cortes por Olof Palme (do Partido Socialista Sueco), que viu a importancia de seus relatos! O filme faz parte de uma trilogia, onde fazem parte os filmes: uma vida decente (1979) & A herança social (1993), onde depois foi incluído um curta-metragem intitulado Epílogo (2006) Filme Completo – Youtube

b70-15004Mondo Mod (1967): documentário que explora a localidade de West Hollywood (Sunset Strip – Califórnia), nos idos de 1966, que em uma viagem mostra as características locais, como festas e discotecagens, protestos políticos, drogas e todas as armadilhas da então conhecida “Now Generation”, dos ditos jovens Mods americanos, esses muito mais ligados ao psicodelismo, com roupas extravagantes e substancias psicotrópicas!
Trailer – Youtube

Nos anos 70, com a musica renovada graças a revilitação do Punk, a cultura quadropheniaMod pegou carona nessa nova cena, com seu “Revival” musical, tendo sua maior referencia a banda The Who, que por si usaria o cinema para mostrar & fortalecer essa ideia. O filme “Quadrophenia” (1979), nome do disco homônimo de 1973, estrelado pelo ator Phil Daniels no papel de Jimmy, um jovem que vive o estilo de vida Mod durante os anos 60. Também conta com participações de Toyah Willcox, Mark Wingett, John Altman, Leslie Ash, Ray Winstone e o musico Sting. No filme que se passavam durante a efervescência de 1964, onde drogas, festas e brigas se confundiam, o jovem Jimmy vive num mundo onde sua cabeça confusa por conta da vida dura em casa, no trabalho, conflitos com os rivais Rockers & um amor platônico, tem seu cano de escape na vida noturna.

Quadrophenia – Trailer
Quadrophenia – Assista (Filme/English)

Uma década após o ‘boom” do filme Quadrophenia, a cultura Mod voltou a ser retratada nos filmes, por muitas vezes de forma menos tradicionais, por alguns de um formato que tenta resgatar nos dias atuais como seria a atmosfera daquela época, abaixo alguns filmes conhecidos e outros obscuros, na sua grande parte sem registros para download:

MV5BNDY1OTMwNDg0OF5BMl5BanBnXkFtZTcwNzk1MTcyMQ@@__V1__SX339_SY475_Mod Fuck Explosion (1994)
Um conto adolecente estranho, satírico e irreverente em um mundo tóxico, pós-moderno de Mods & Rockers, revestido por um materialismo “Kitsch” & a cultura Trash dos anos 90. O titulo do filme (Mod Fuck Explosion) também da nome a personagem, um rapaz que em certo momento da trama começa a seguir uma garota chamada “London”, nisso ele se depara com uma gangue de Rockers Nipônicos, liderados por “Kazumi”, onde uma serie de conflito vai começar. O filme em si é mais uma grande bagunça misturada de informações temporais, onde nada é sagrado, nem mesmo as diferenças entre Mods & Rockers . Diz a lenda que quando esse filme foi apresentado num festival, um Mod alterado se vira durante o filme para o diretor “Jon Moritsugu”, e o agride com varias ameaças e ofensas. Para tirar suas duvidas neste link do youtube tem um vídeo explicativo sobre o filme!

MV5BMTMwNjA4OTgxNl5BMl5BanBnXkFtZTcwNDkzNTU5Mw@@__V1__SX412_SY333_American Mod (2002)
Filme que conta a história de vida de três jovens Mods, mostrando sua moda, moda, a música que ouvem, os clubes que frequentam, suas scooters… no centro da história está uma mensagem positiva sobre a amizade, valores e descobertas.  A trilha sonora fica por conta da banda Headquarters, da qual faz parte o diretor “Charles Wallace” (vocalista), e aparece em trechos do filme. Noticias dizem que esta para sair uma edição em dvd em comemoração pelos 20 anos da produção, é esperar que seja comercializado no Brasil também! Aqui trechos do filme (Youtube)

14009492Mods (2003)
Um filme atemporal, apesar do titulo, o diretor Serge Bozon mostrou com essa obra um retrato artístico de um apanhado de conteúdos da cultura Mod em diálogos nonsense, sem se prender a ideias obvias, e elevando as mensagens subliminares ao contexto da interpretação do publico. A historia se passa em torno de alguns garotos que moram num Campus, que mais parece uma clinica de recuperação, os irmãos Paul (interpretado pelo próprio diretor) & François, e Edward & Anna, que no filme também são irmãos. As vidas em si tentam ter uma ligação na trama, o diretor se preocupou em aguçar uma sensibilidade no espectador justamente pra tentar captar onde esta essa linha de encontros e onde tudo se encaixa na estilo de vida Mod. Um filme bem difícil de assistir! Aqui algumas cenas extraídas do filme (Youtube)

vanityfaire

Young Birds Fly (2006)
Esse filme já é um clássico da web, sem ninguém nunca ter visto na integra, sua Young Birds Flypopularidade cresceu vide o trailer (aqui) que alimentou as vontades do expectador de assistir, por conta de mostrar uma serie de elementos unidos com sutileza e propriedade, como Mod, Skin, Northern Soul, Futebol, Lambretta, Moda & estilo de vida. O filme foi realizado em 2006, pelo jovem diretor Leonardo Flores, que já tinha realizado alguns short movies sobre elementos da cultura Mod (aqui), porem não se sabe ao certo porque este filme em questão nunca foi lançado comercialmente, o mais provável foi a falta de verbas e questão de direitos autorais, o titulo do filme foi retirado da musica de mesmo nome do musico “Cryan’ Shames” (aqui), a musica em destaque no trailer é “(I Love Her So Much) It Hurts Me” do grupo “The Majestics” (aqui).
O filme em si conta a historia de 3 garotas:
Jill (Vênus Ace): uma garota de 15 anos, que vive num mundo particular, e vista como uma estranha, consegue liberdade quando descobre em casa alguns discos antigos e um vitrola Technics, sua vida muda totalmente, até tudo fazer mais sentido graças a cultura Mod, que se torna seu dia a dia.
Elizabeth (C-Bird): a garota mais popular do colegio, paparicada ela tinha o respeito de seus amigos, enquanto vivia entre os treinos e os clássicos da Northern Soul, até descobrir algumas mentiras, sua vida muda quando ela começa a se relacionar com um “Casual Hooligan”, encontrando assim a felicidade para preencher o vazio dos seus problemas.
Jeanenne (The Arsenal Skin II): uma Skin Bird, a mais velha das três garotas, que sem o folego dos tempos áureos, tenta se adaptar a todo o revival de suas duas colegas na trama, e assim ajudas com seus conflitos internos.

wearethemodsposterWe Are The Mods (2008)
Filme do diretor EE Cassidy, produzido em 2008 e lançado no mesmo ano no “Outfest”, onde ganhou prêmios de melhor roteiro, filme e trilha sonora Modsprêmios.  O diretor EE Cassidy mistura a Califórnia dos anos 60, revisada com a cena Mod dos anos 80 e seu renascimento, que se definiu através de seus objetos, moda, música e atitudes: scooters, ternos sob medida, uma aparência limpa e arrumada, minissaias, ska e Brit pop, comportamento ordeiro e um gosto para as anfetaminas. Cassidy estava interessado em desenvolver personagens femininas, com personalidades fortes que fizeram a ação avançar. Rudado em “Super 16mm”, e transferido para HD, o filme tem a aparência rude de baixo orçamento do cinema independente, mas isso não desagradou o publico e o filme teve grande critica entre os Mods e demais expectadores!
O filme conta a historia de Sadie (Melia Renee), uma adolescente tímida que se relaciona com o mundo através de sua câmera fotográfica. Quando ela conhece Nico (Mary Elise Hayden), que lhe apresenta para a cena Mod californiana, da moda, música e design, ao cinema europeu de vanguarda, para o filmes de Godard e Truffaut, ao brit pop, drogas, clubes e sexualidade. Nico mostra para Sadie como se divertir mas ela também incentiva-la a afirmar-se & polir suas habilidades como fotógrafo.
Trailer (Youtube) / Trailer II (Youtube)

lena_lucas_tanzszene_kleinMod Mood (2009)
é um curta metragem filmado em 2008 e “lançado” em 2009, dirigido por Ivi bild001Roberg com parceria de produtores alemães (gravado também na Alemanha), tendo no elenco atores brasileiros da cidade de São Paulo: Lucas & Tiago Marcondes, Jennifer Schiradin, Denise Matthey & Vania Mello. O filme conta a história de um garoto Mod brasileiro (Lucas), que se sente deslocado em seu mundo na cidade de Sorocaba, pela internet conhece uma garota alemã chamada Lena que tambem tem o estilo de vida Mod, durante um tempo eles se conhecem através dos papos da web, até que Lucas decidir ir até a Alemanha para conhece-lá.
Teaser – Video 01 / Video 02

Brighton-Rock_05

O pior dos pecados (Brighton rock – 2010)
Filme baseado no romance de 1938 do britânico “Graham Greene“, originalmente lançado como filme em 1947, e re-adaptado numa nova versão (2010) que se passa em 1964, durante os conflitos entre Mods & Rocker. O mesmo saiu no Brasil em dvd, sem passar pelo cinemas, com o titulo nada criativo: “Pior dos Pecados“, contando a historia do aprendiz de gangster, Pink, que se envolve em um assassinato, tendo uma jovem garçonete como testemunha do crime, ele se aproxima da mesma para tentar resgatar a unica prova, uma foto que compromete a chefe da gangue, Spicer. Com o tempo eles se envolvem amorosamente, e Pink se vê acuado entre ela é sua vida sociopata. O filme conta com os atores Sam Riley (o mesmo que fez Control – Joy Division), Helen Mirren, John Hurt, Phil Davis (conhecido do filme Quadrophenia) & Nonso Anozie (conhecido do filme Cass).
Trailer (Youtube) / Making Of (Youtube)

o-pior-dos-pecados-5

Porém ainda existe alguns outros filmes dos anos 70/80/90/00, que também tem sua importância com algumas referencias sobre a década de 60 e alguns elementos do estilo de vida Mod, e também servem como base de pesquisa estética e musical:

01. De Volta ao Vale das Bonecas (Beyond the Valley of the Dolls – 1970)
02. Get Carter (1971)
03. Laranja Mecanica (1971)
04. Febre de Juventude (1978)
05. Absolute Beginners (1986)
06. Minha mãe é uma sereia (1990)
07. Backbeat – Os Cinco Rapazes de Liverpool (1994)
08. The Wonders – O sonho não acabou (1996)
09. Velvet Goldmine (1998)
10. Austin Powers Trilogia (International Man of Mystery – 1997 / The Spy Who Shagged Me – 1999 / in Goldmember – 2002)
11. Os Sonhadores (2002)
12. Abaixo o Amor (2003)
13. Meu Jantar com Jimi (2003)
14. Factory Girl (2006)
15. Dreamgirls (2006)
16. Across the Universe (2007)
17. Amazing Journey – The Story of The Who (2007)
18. Os Piratas do Rock (2009)
19. Se Não Nós, Quem? (2011)
20. Moonrise Kingdom (2012)
21. Not Fade Away (2012)